quarta-feira, 17 de agosto de 2016

dou por mim a ficar com o meu amor por ti amadurecido.. olhei para ti, sem a timidez de quem não quer mostrar, que ficou aos pulos só por te ver. ui.. continuas a criar em mim aquelas borboletas no estômago.

hoje, finalmente, consegui mostrar-te realmente um pouco daquilo que sou.. a minha forma meiga e carinhosa como toco e me deixo tocar.. foi bom! um momento em que estiveste no meu mundo afectuoso, relacional e laboral.

sem que desses conta, já me ensinaste muitas coisas.. livraste-me de monstros feios e antigos que teimavam rondar-me. fizeste-me ver que tenho em mim tantas coisas de uma riqueza incalculável.. fazes-me muitas vezes pensar, vezes até demais, pensar nas razões pelas quais corro: objectivos e metas. umas vezes quero-te perto.. outras, nem me quero misturar contigo.

será amor?


Sem comentários:

ter-te tão perto, de querer tanto ter, chega a doer. não consigo perder a esperança...