segunda-feira, 29 de outubro de 2018

tributo

foste e és minha e eu sei que era tua.
a forma como me olhavas, demonstrava que tomavas conta de mim, percebíamo-nos muitas vezes, sem que tivéssemos que trocar muitas palavras.
adorei aprender a fazer cornucópias contigo, ensinaste-me a fazer arraiolos, podia ajudar-te na tua renda e na tua malha. sentia-me tua neta e querida por ti.
teimei querer achar um nome para os teus sintomas e diligentemente, conseguimos encontrar o mal e fazer com que ele não te desse tantas dores e mal estar.
partilhaste comigo as tuas dores, o teu trajecto.. mas sabes na igreja, quando nos sentávamos ao redor do altar, eu esquecia-me da tua idade e tu da minha e estávamos ali em comunidade.
conheci-te e só posso agradecer por teres vindo à minha vida e me ensinares tanto. obrigada por te ter conhecido, não te esquecerei minha querida M. J.
no dia antes de partires disseste-me: Se Deus quiser pode vir-me buscar!
olha por mim!*

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

"Ele não te pede nada
sem te dar a graça
que precisas para o cumprir."

na turbulência dos dias que parecem não ter fim, Deus manifesta a sua mão poderosa, diria mais reconfortante.
o telemóvel toca..
"já não a vejo há tanto tempo.. quando vem cá?"

no meio duma reunião de trabalho.. saem nomes de pessoas amigas. 

da secretaria onde me empenho e esforço a querer fazer mais e melhor, 
olho para Ti e peço-Te que nunca me esqueça da garantia e da certeza da Tua presença na minha vida
e agradeço-te por ser mais conTigo!*



quinta-feira, 23 de agosto de 2018

ainda não parei, para me dar conta que partiste.

no dia que foste para o hospital, senti uma necessidade de remexer na gaveta e tocar na cruz que me havias dado faz tempo. olhei e sorri. para sempre me lembrarei de ti, dos teus lenços de seda, do teu perfume, do teu cabelo sempre arranjado.

alegrava-me sempre que vinhas a nossa casa. os teus beijinhos repenicados.

da ultima vez que te vi, dei-te o almoço como tu fazias à tua menina.

querida prima guarda-me daí ternamente. dá um beijo por mim à minha avó C. e à tia R.

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Sr. C.

entoavas as modas de cante alentejano e emocionavas-te ao fazê-lo.
viste partir a tua A., mas hoje sei que a voltaste a encontrar.
o trabalho marcou a tua vida.
foste nosso, apenas nos tinhas a nós. consegui levar-te para a terra que ainda te alegrava o rosto, quando pronunciava o seu nome.
agora que estás com a A. olhem daí por mim.* 

quarta-feira, 13 de junho de 2018

tributo a ti, querida J.

demorei a conseguir chegar a ti.
tu eras discreta, meiga, simples e parca em palavras. ouvi-te tantas vezes dizer obrigada e não me lembro de te queixares.
tinhas a tua cruz e não te ouvi queixar que era pesada.
no leito da morte, continuavas a reagir alegremente à voz da tua filha: "oh filha..!" lembrar-me-ei sempre da forma terna como entoavas estas palavras. 
gostavas de ler, de gin, de vinho do porto.
Obrigada por me ensinares a silenciar a dor e a fazer caminho!

terça-feira, 17 de outubro de 2017

pôr tudo no que faço vs gerir emoções

nos bancos da escola, deviam ter-me treinado a gerir as emoções, com que me deparo no meu mundo profissional. juro que jamais me passaria pla cabeça.. dias à que sou amparo no leito, outros que vejo perante a lei da vida ao contrário.. ter que dizer à M. que o filho está doente e as coisas não vão ser fáceis..
mas olhando para todos estes acontecimentos, faz-me consciencializar que gosto realmente do que faço e aprendi a pôr tudo o que sou naquilo que faço e faço-o com amor e dedicação.*

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Grata

tenho-me sentido assim ultimamente, grata.. plo caminho, plas pessoas que se cruzam comigo.. pla vida!
Obrigada bom Deus!