quinta-feira, 28 de julho de 2016

Saudades tuas, avó C., obrigada pelas dicas de dona de casa. Obrigada avô F. por me deixares pintar as tuas unhas, por me deixares transformar as couves em sopas para as minhas bonecas, por me transportares no carrinho de mão. 
Avó R., gostava quando arrefecias a sopa de forma especial para mim e pela salada de alface milimetricamente cortada. 
Avô J., bem sei que era a tua menina.
Ter memórias dos meus avós é algo tão grande e especial, moldaram-me, todos deixaram um pouco de si*
sinto-me agradecida, tenho saudades de partilhar convosco os meus dias. continuem dai a olhar por mim, por nós.

Sem comentários:

ter-te tão perto, de querer tanto ter, chega a doer. não consigo perder a esperança...